O Amazonas teve queda de 3,9% no número de novas microempresas e empresas de pequeno porte abertas em 2023 em relação ao ano anterior. Segundo levantamento do Sebrae com base no  CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica) da RFB (Receita Federal do Brasil), o registro de abertura em 2022 representa um saldo de 27 mil, contra  21 mil em 2023.

Socorro Corrêa, gerente da unidade de gestão estratégica do Sebrae-AM, detalha ainda sobre o aumento de 32% no número de pequenos negócios fechados no Amazonas no ano passado.

No caso das novas ME (microempresas), categoria que fatura até R$ 360 mil por ano, o registro foi de um recuo de 32 mil em 2023 contra 33.576 em 2022. Em relação a abertura de novos MEI (Microempreendedores Individuais), foram 6.381, número menor que as 6.428 abertas em 2022.

Já as novas EPP (Empresas de Pequeno Porte), cujo faturamento anual vai de R$ 360 mil ao teto de R$ 4,8 milhões, encerrou 2023 com saldo positivo 12,65% foram 2.324 mil novos negócios dentro dessa categoria, quantitativo maior que 2022, com 2.063. Conforme o Sebrae, juntas, ME e EPP formam as chamadas MPE (Micro e Pequenas Empresas)

Sobre o quantitativo de empresas fechadas em 2023,  o Amazonas registrou ao menos 20 mil. Em 2022, foram quase 15 mil. Para Socorro Corrêa, não foi só que diminuiu o número de empresas abertas, é que o número de empresas fechadas no período também aumentou. Por isso que caiu de um saldo de 27 para 21 mil.

“O resultado do saldo líquido de empresas em 2023 demonstra um recuo na atividade econômica formal. Como não houve aumento expressivo do emprego no mesmo período, o fechamento de negócios se deu por insucesso empresarial ou fuga para atividade informal ou para um subemprego”, atribui Socorro Corrêa.

Embora o Amazonas esteja apresentando leve retração,  Décio Lima, presidente do Sebrae Nacional, destacou que seguem otimistas com o desempenho dos novos negócios no Amazonas. “O significativo crescimento do número de novas microempresas e empresas de pequeno porte é demonstrativo da melhora da economia brasileira e comprova que os empreendedores se sentem mais confiantes com os rumos da nossa economia. Para o país, isso representa mais geração de empregos, maior arrecadação, mais dinheiro em movimentação e mais inclusão”, destacou.

Em 2023, o segmento de serviços liderou as atividades que registraram o maior volume de novos negócios 22.594, seguido de comércio 12.948, indústria 2.847 e construção civil 2.079 e agropecuária 298.

Nacional

O Brasil registrou a abertura de 859 mil micro e pequenas empresas em 2023, uma alta de 6,62% em relação ao ano anterior, quando foram criados 805,6 mil empreendimentos. Os números apontam para uma média de 2,3 mil novos negócios desse porte abertos por dia, segundo levantamento.

No caso das novas microempresas, o salto foi de 674,5 mil para 715 mil, de 2022 para 2023. Já as novas empresas de pequeno porte, passaram de 131 mil para 143,7 mil no mesmo período.

Na análise temporal mais longa, é possível ver o incremento sustentável de micro e pequenas empresas no Brasil. Em 2019 foram abertas 490 mil microempresas e 89 mil empresas de pequeno porte, contra 715 mil microempresas e 143 mil empresas de pequeno porte no ano passado, o que representou aumentos de 45,80% e 60,50%, respectivamente.

Para o presidente do Sebrae, Décio Lima, o significativo crescimento do número de novas Microempresas e Empresas de Pequeno Porte é demonstrativo da melhora da economia brasileira. “Os números mostram que os empreendedores se sentem mais confiantes com os rumos da nossa economia. Eles estão mais motivados a entrar no mundo do empreendedorismo com investimentos e fazendo a economia girar”, avalia. “Para o país, isso representa mais geração de empregos, maior arrecadação e mais dinheiro em movimentação e mais inclusão”, acrescenta o presidente do Sebrae.

Segundo o levantamento do Sebrae, a abertura de novos microempreendedores individuais (MEI) ficou estável, caindo 0,9 % em comparação com 2022, o que é considerado uma acomodação sem relevância estatística. Foram 2.908.104 novos MEIs em 2023, ante 2.933.809 em 2022. Somando os MEI às micro e pequenas empresas, o total de novos pequenos negócios abertos no Brasil chegou a 3,77 milhões no ano passado. Isso representa 96% do total de empresas, incluindo as de médio e grande porte, criadas no país em 2023.

Décio Lima destaca que os pequenos negócios têm sido fundamentais ao longo dos últimos anos para manter a economia brasileira em atividade. “As micro e pequenas empresas são as primeiras a reagir em momentos de crise. Graças principalmente a elas, o país consegue recuperar o nível de emprego e a geração de renda. Nossas pesquisas mostram que os pequenos negócios têm respondido por aproximadamente 7 em cada 10 empregos gerados”, avalia.

Em 2023, as atividades que registraram o maior volume de novos negócios estavam no setor de Serviços, englobando nove das dez classes com a maior abertura de empresas durante esse período. O principal destaque foi “Atividades de atenção ambulatorial executadas por médicos e odontólogos”, liderando a abertura de MPE com um total de 48.782 novas empresas em 2023, representando 5,68% do total de microempresas e empresas de pequeno porte criadas nesse período. Juntas, as TOP 10 classes CNAE somam 277.449 novas MPE abertas no ano passado, correspondendo a 32,3% do total.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui