Gerson Severo Dantas

O Conselho de Desenvolvimento do Amazonas (Codam) aprovou, nesta quinta-feira (29), 32 projetos industriais que vão demandar investimentos de R$ 1,6 bilhão em até três anos. Foram 18 projetos de bens finais e 14 de bens intermediários (componentes).

O principal projeto por volume de investimento aprovado foi da Yamaha Motor da Amazônia, que prevê o aporte de R$ 1 bilhão na produção motonetas e motocicletas, com geração de 124 novos empregos.

Na lista também destaca-se a o projeto da Visteon Amazonas, de diversificação da planta industrial para a produção de painéis de instrumentos digitais para veículos automotores. Com investimento de R$ 85 milhões, a empresa espera gerar 44 novos empregos.

O secretário-executivo de Desenvolvimento Econômico, Gustavo Igrejas, afirmou que os projetos desta primeira reunião do Codam de 2024 são robustos e que vão garantir bons tempos para o Estado, empresas e trabalhadores da Zona Franca de Manaus.

O governador do Estado em exercício, Tadeu de Souza (Avante), que presidiu a reunião do Conselho, celebrou os números do Polo Industrial no ano passado, ressaltou o apoio que o Governo Federal tem dado para o desenvolvimento da região e classificou o momento da Zona Franca de histórico e de muitas expectativas para 2024.

Tem muita coisa boa acontecendo para o nosso modelo: juros mais baixos, a nova política industrial e programas, como o Minha Casa, Minha Vida que vão demandar o consumo de eletroeletrônicos, por exemplo“, avaliou Tadeu de Souza.

O vice-governador lembrou ainda que nesta sexta-feira haverá nova reunião do Conselho de Desenvolvimento da Suframa (CAS) e pela quarta vez será presidida pelo ministro do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços, Geraldo Alckmin, que vem a Manaus na condição de presidente da República em exercício.

No CAS serão analisados a concessão de benefícios fiscais para projetos que estimam um investimento de pouco mais de R$ 1 bilhão na Zona Franca de Manaus.

Tecnologia chinesa para produção de celulares

O presidente da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas, Antônio Silva, destacou dentre os projetos aprovados o que trará para Manaus uma nova tecnologia chinesa de produção de aparelhos celulares, que além de modernizar o produto ainda vai torná-lo mais barato.

Ele mostrou que serão gerados 748 postos de trabalho, sendo 649 na produção e o restante em áreas administrativas. Ele também chamou atenção para o fato de serem 10 projetos de implantação, portanto novos investimentos na Zona Franca de Manaus.

O projeto deste novo telefone celular foi apresentado pela Cal Comp Indústria, Comércio de Eletrônicos e demandará um investimento de R$ 322 milhões e criação de 109 empregos.

Antonio Silva também citou o projeto de diversificação da Bertolini Transportes, que fabricará em Manaus boias de amarração de embarcações, um produto que segundo ele é cheio de tecnologia e inovador para os padrões nacionais, com geração de 44 novos empregos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui