Otávio Vislley

19 de junho de 2023

O tempo curto do programa e o número limitado de veículos incluídos na lista de contemplados com o estímulo às vendas do governo federal são fatores que devem excluir a Zona Franca de Manaus de impactos econômicos positivos da iniciativa do governo Lula.

Apesar de ser reconhecida apenas pelo do polo de duas rodas, com produção de motocicletas e bicicletas, Manaus também produz e fornece equipamentos para montadoras. Em edições anteriores, os reflexos do incentivo à indústria automobilística chegavam aqui.

Dessa vez, será diferente, segundo afirma o presidente do Sindicato da Indústria de Aparelhos Elétricos, Eletrônicos e Similares do Estado do Amazonas (Sinaees), Sérgio Capela.

“Os reflexos não serão sentidos num primeiro momento para as indústrias instaladas no Amazonas ou qualquer outra empresa fornecedora do segmento automotivo visto que o incentivo foi concedido por tempo determinado e não contemplou 100% dos veículos produzidos no país”, disse.

Segundo ele, os benefícios estão sendo mais proveitosos para as montadoras e concessionárias que usarão desta oportunidade para a redução dos estoques nos pátios e nas lojas.

“Caso tais benefícios se renovem e haja um planejamento de, no mínimo, médio prazo, isto será refletido em um aumento de demanda e consequentemente aumento de produção para as empresas fornecedoras das montadoras”, ressaltou.

O Amazonas possui indústrias de “quatro rodas”?

Conforme Sérgio Capela, há empresas do segmento de carros instaladas em Manaus que atuam diretamente na produção de produtos tais como painéis de instrumentos, rádios automotivos, centrais multimídia (Infotainment), Cockpit Computers, dispositivos de carregamento de celulares por indução, dispositivos de segurança, entre outros.

Como exemplo, é possível mencionar as empresas Panasonic, Honda e Visteon, que produzem multimídia para cockpits do setor automobilístico nacional.

Outros setores serão beneficiados?

O economista Felipe Silva prevê o aumento na venda de veículos, com a diminuição dos preços dos automóveis, tanto a nível nacional quanto regional. Impulsionando, assim, a produção e a geração de empregos no setor automotivo do estado do Amazonas, beneficiando a economia local.

“O aumento da demanda por veículos pode impulsionar o setor de serviços relacionados, como seguradoras, concessionárias, revendedores e oficinas mecânicas, proporcionando oportunidades adicionais de negócios e empregos”, disse ao RealTime1.

Como funcionarão os descontos?

Segundo o Governo Federal, a redução de preços será aplicada a veículos com valor final de até R$ 120 mil e terá descontos variando de 1,5% a 10,96% com base em três critérios: valor atual do veículo, emissão de poluentes e cadeia de produção.

A iniciativa visa tornar os veículos mais acessíveis à população, especialmente os carros mais baratos, com menor emissão de CO2 e maior uso de peças e componentes nacionais, os quais serão incentivados através de maiores descontos.

Fonte: Real Time 1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui