Indústria cria Ação Social Integrada para enfrentar pandemia do Covid-19 no Amazonas

Depois da criação do Comitê ZFM COVID-19, em março, as entidades da indústria nacional e do Amazonas anunciam mais uma ação conjunta do setor industrial para enfrentar os impactos da pandemia do Covid-19 no Estado. O novo projeto, Ação Social Integrada do Polo Industrial de Manaus, vai envolver empresas e sindicatos do setor no Estado liderados pela Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (FIEAM), Centro da Indústria do Estado do Amazonas (CIEAM), Associação Nacional de Fabricantes de Produtos Eletroeletrônicos (Eletros) e Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo), por meio de seus respectivos presidentes, Antonio Silva, Wilson Périco, Jorge Nascimento Jr. e Marcos Fermanian.

De forma voluntária, o grupo de executivos do setor industrial vai atuar, por meio da Coordenaria da Saúde do projeto, para identificar prioridades, desenvolver e coordenar ações de apoio às instituições do setor de saúde, no suprimento de equipamentos de proteção individual (EPIs) e outros insumos urgentes para os profissionais da área. Além disso, a partir da Coordenadoria de Assistência Social, vai desenvolver e coordenar a implementação de projetos assistenciais com foco na arrecadação e provimento de cestas básicas e itens de primeira necessidade para aqueles em situação de vulnerabilidade social.

A coalizão das entidades representativas dos segmentos industriais do Polo Industrial de Manaus espera desenvolver estratégias, projetos e implementação de ações focadas no enfrentamento dos impactos da Pandemia do Covid-19. A iniciativa é coordenada pelo Conselheiro do CIEAM, Jeanete Portela, também representante da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (FIEAM) no Conselho Temático e Comissão de Assuntos Tributários e Fiscais da Confederação Nacional da Indústria (CNI).

A indústria amazonense, empresas de diversos setores e instituições de ensino e pesquisa estão mobilizadas desde o início da pandemia para o combate ao coronavírus no Estado. São iniciativas que vão da doação de bens e serviços, até projetos de tecnologia para o desenvolvimento de equipamentos pelo Polo Industrial de Manaus, com foco no combate à doença.

Estas ações são resultantes da união dos setores empresariais do Polo Industrial de Manaus, que, além de principal indutor da economia no Estado do Amazonas, responsável pela geração de mais de 500 mil empregos diretos e indiretos, contribui anualmente com aproximadamente R$ 400 milhões para manutenção da Universidade do Estado do Amazonas – UEA; R$ 900 milhões para o Fundo de Fomento, Turismo, Infraestrutura, Serviços e Interiorização do Desenvolvimento do Amazonas – FTI; R$ 200 milhões para o Fundo de Apoio às Micro e Pequenas Empresas e ao Desenvolvimento Social do Estado do Amazonas – FMPES, e investimentos de R$ 500 milhões em Pesquisa & Desenvolvimento & Formação de Capital Intelectual.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui