Dados referentes ao mês de agosto apontam que a vazante deste ano está nos níveis normais

Mesmo com os recordes de calor no Amazonas, a vazante dos rios segue dentro da normalidade para o período, segundo relatório do Serviço Geológico do Brasil (SGB). Os dados são referentes às análises feitas de 01 a 30 de agosto.

Foram analisadas seis bacias de rios do Amazonas. O Serviço Geológico divulgou um mapa das estações monitoradas. Os períodos de cheia e vazante são definidos com base nos dados das séries históricas. No mapa, todas as regiões do Amazonas apresentam vazante.

Durante o período em análise, 01 a 30 de agosto, é possível visualizar estação seca em grande parte da região, volumes mais elevados nas bacias localizadas no norte e noroeste da região e os menores no extremo sul da área monitorada.

Os volumes mais baixos, com mediana inferior a 35 mm, são sobre a bacia do Aripuanã (14 mm), Guaporé e JiParaná (16 mm), Mamoré (26 mm), Beni (34 mm) e Madeira (35 mm).

Já os maiores valores acumulados em 30 dias, acima de 155 mm, normalmente são observados sobre o Içá (159 mm), Napo (166 mm), Negro (170 mm), Branco (172 mm) e bacia do Japurá (176 mm).

Como estão as bacias de rios?

Bacia do Rio Branco: formado pela junção dos rios Tacutu e Urariquera e tem sua foz na margem esquerda do rio Negro na divisa entre os estados de Roraima e Amazonas. Neste período apresentou diminuição do nível com descidas diárias médias de 13 cm em Boa Vista e 29 cm em Caracaraí.

Bacia do Rio Negro: apresentou comportamento de vazante, com descidas diárias médias de 13 cm em São Gabriel da Cachoeira e 14 cm em Tapuruquara, tais postos apresentam níveis um pouco abaixo da faixa da normalidade para o período. Em Barcelos, o Negro segue em processo de vazante e em Manaus, apresentou descidas maiores, mas as cotas registradas são consideradas normais para a época.

Bacia do Rio Solimões: O Rio Solimões em Tabatinga, apresentou descidas regulares ao longo da semana, mas os níveis registrados nesta estação apresentam valores baixos para a época. Em Fonte Boa, o Solimões desceu uma média diária de 11 cm, apresentando cotas na faixa da normalidade. Já em Itapéua e Manacapuru, o rio apresentou descidas mais acentuadas, mas os níveis registrados são considerados normais o período.

Bacia do Rio Purus: O rio Acre em Rio Branco segue em processo de vazante, apresentando níveis abaixo da faixa da normalidade para o período. Em Beruri, o rio Purus segue em processo de vazante com descidas médias diárias de 18 cm.

Bacia do Rio Madeira: O rio Madeira em Humaitá apresentou descidas médias diárias de 13 cm e os níveis registrados estão dentro da faixa da normalidade para o período.

Bacia do Rio Amazonas: Na semana em curso, o rio Amazonas segue em processo de vazante, apresentando descidas regulares ao longo da calha, contudo em Itacoatiara, os níveis registrados são considerados baixos para a época.

O nível do rio em Manaus

O nível no Porto de Manaus apresenta 23,04 metros. Nos últimos dois dias, desceu 19 cm e este nível é considerado pelo Porto de Manaus, que faz a medição diária, como período de vazante.

O Rio Negro em Manaus apresenta situação estável, em que em 76% dos anos da série histórica a cota máxima ocorre no mês de junho e em 18% no mês julho. Neste ano, a cota máxima foi atingida no dia 13 de junho, chegando à cota de 28,30m. A cheia recorde foi registrada no ano de 2021, também no mês de junho quando alcançou 30,02m.

Após atingir as cotas máximas, ou em junho ou julho, Rio Negro tende a iniciar seu processo de vazante até que atinja a cota mínima.

O fim da vazante, por sua vez, não apresenta um período preferencial, podendo ocorrer entre outubro e janeiro do próximo ano. A cota mínima recorde foi atingida em 24 de outubro de 2010, quando chegou a marca de 13,63m.

Fonte: Real Time 1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui