Fundação desenvolveu mais de 36 projetos para empresas parceiras do PIM

A Fundação Desembargador Paulo Feitoza (FPFtech) fechou o ano de 2023 com um crescimento institucional de 30%, revelou o CEO da instituição, Luís Braga. O incremento nos resultados considera todas as operações da fundação, a quantidade de novas pessoas contratadas, faturamento e os mais de 36 projetos desenvolvidos ao longo do ano em parceria com as principais empresas do Polo Industrial de Manaus (PIM).

Um dos maiores destaques no período foi o credenciamento da incubadora tecnológica ‘WIT’ junto ao Comitê de Atividades de Pesquisa e Desenvolvimento na Amazônia (CAPDA), que com a coordenação da FPFtech promete abrir novas oportunidades para fomentar o empreendedorismo e contribuir significativamente com o ecossistema de inovação.

Para Luís Braga, a renovação das parcerias com os clientes da fundação foi mais um resultado a ser comemorado.

“Tivemos 100% das nossas parcerias com os clientes renovadas e isso é um fato muito relevante, pois mostra que é um trabalho feito com seriedade, por isso tem continuidade e a confiança da indústria”,

ressaltou Braga.

Em consonância com as necessidades de qualificação cada vez mais especializada da Indústria 4.0, outro marco importante foi a formação das primeiras turmas na Escola Tecnológica da FPFtech (etech), que já graduou quatro turmas compostas por 40 alunos, cada. Com isso, a fundação conseguiu compartilhar o conhecimento acumulado ao longo de seus 25 anos de existência, expandindo sua missão na área educacional, um grande desejo do patrono, o desembargador Paulo Feitoza.

“O desembargador Paulo Feitoza acreditava muito no conhecimento como a força motriz, a força que vai impulsionar e levar as pessoas para um outro patamar na vida delas. Então a gente mantém vivas essas ideologias, esses valores que o desembargador acreditava, portanto, a consolidação da escola era um marco muito importante para a FPFtech em 2023. Existe também um gap muito grande de pessoas capacitadas para trabalhar com essas novas tecnologias que estão aparecendo da indústria 4.0, então quando a gente forma pessoas nessas áreas, a gente está ajudando a indústria a fechar esses gaps, levando para eles essa mão de obra de maior qualidade”,

afirmou Braga.

Com os olhos voltados para o futuro, a FPFtech já projeta um 2024 repleto de desafios e inovações nas suas operações, contribuindo para o desenvolvimento tecnológico e educacional do país.

“A gente se sente bastante realizado, contudo, a cada ano é uma novidade. A gente tem planos para 2024, muito trabalho para fazer no próximo ano. Tem muita coisa a ser desenvolvida nos anos vindouros, mas em 2023, nosso balanço geral é de que foi um ano que a gente conseguiu cumprir com sucesso os nossos objetivos”,

completou.

*Com informações da assessoria

Fonte: EM TEMPO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui