O eletrodoméstico ou eletroeletrônico que você comprou recentemente pode ter viajado de Manaus (AM) a São Paulo (SP) dentro de um avião ou de um contêiner, a bordo de caminhão, em um navio e novamente de caminhão. Da mesma forma, motocicletas, peças e componentes de um fogão, geladeira ou aparelho de TV tiveram uma logística semelhante.

Ligar ferrovias, rodovias, hidrovias, terminais marítimos e aéreos para conectar regiões produtoras a mercados consumidores é um grande desafio para todas as empresas e, principalmente, para as empresas de logística e Operadoras de Transporte Multimodal (OTM). Quando olhamos para a região Norte do país, a maior do Brasil, que representa mais de 40% de todo o território nacional, o desafio é ainda maior. É necessário entender seus aspectos econômicos de produção, destino e consumo, e suas inúmeras características territoriais.

A Região Norte possui poucas rodovias pavimentadas e uma malha hidroviária superior a 16 mil quilômetros, sendo o transporte por rios o principal meio de locomoção de pessoas e produtos, com grande fluxo de embarcações. Além disso, quando se olha o Brasil de ponta a ponta, temos ainda uma estrada pelo mar, a BR do Mar, com mais 8 mil quilômetros de extensão e que pode e está sendo usada no transporte por Cabotagem.

 Diretor de Operações da Costa Brasil em Manaus, Clayton Alencar

“A solução logística para a região Norte requer a combinação de modais, hidroviário, Cabotagem, aéreo e rodoviário, quando possível. Com exceção do modal aéreo, utilizado no transporte de produtos mais sensíveis, como eletrônicos montados ou produzidos na Zona Franca de Manaus, a Cabotagem é a solução mais barata para o ir e vir de produtos”, explica Clayton Alencar, diretor de Operações da Costa Brasil em Manaus.

Com uma economia baseada na extração mineral, agronegócio e indústrias da Zona Franca de Manaus e de Belém, com suas grandes empresas e sofisticada tecnologia, a região Norte abastece o país com seus produtos e, foi exatamente a logística que garantiu o desenvolvimento do setor industrial, que já possuía incentivos fiscais, e que precisou se reinventar rapidamente para garantir o abastecimento e o escoamento da produção para exportação e para outras regiões do país.
Já no caminho inverso, diariamente chegam produtos de outras regiões, que alimentam, principalmente o varejo, com produtos de higiene, alimentícios, construção civil e matéria-prima para as montadoras dos parques industriais, entre outros.

Região Norte abastece o país com seus produtos

Grande volume de operações no Norte exige estrutura completa

Há 10 anos, a Costa Brasil vem ampliando sua atuação no Norte do país. Sendo a cabotagem um dos modais mais utilizados, o que possibilita a empresa manter rotas regulares, entregando os mais variados produtos para o varejo e atendendo atacadistas que compram diversos produtos de fornecedores do Sul e Sudeste. Nessas operações são utilizadas as modalidades de embarques fracionado, compartilhado e consolidado, de acordo com a demanda de cada cliente.

“Trata-se de uma das nossas maiores operações em frequência e volume. Realizamos a estufagem de contêineres em nossos armazéns, junto aos portos do Sul e Sudeste e descarregamos em Manaus, fazendo o transporte final até o cliente”, explicou Clayton Alencar, diretor de Operações da Costa Brasil em Manaus.

Exemplo disso é a parceria mantida, desde agosto de 2020, entre a Costa Brasil e a Rede Bemol, uma das maiores do setor de varejo na região Norte, entregando de brinquedos a utensílios domésticos. Ela opera com cargas semanais por cabotagem, com contêiner Full e Consolidado.

“Em agosto de 2020, enfrentávamos um momento muito crítico para nós, pois estávamos com sérios problemas em relação a transporte marítimo. A Costa Brasil nos apresentou propostas bem mais em conta do que o modal rodoviário, o que nos levou a iniciarmos as operações. Lembro que começamos com modestos seis contêineres e em um ano estávamos comemorando o milésimo”, informou Porfírio Filho, analista de Logística Pleno da Bemol.

Para atender a Bemol e outros clientes no Norte do país, a Costa Brasil possui um pátio com armazém numa área de 9,7 mil m², que possibilita armazenamento, consolidação, distribuição de cargas e serviços de terminais.

Inovação e tecnologia

De Manaus para o Sul e Sudeste, os desafios logísticos da região fizeram com que a empresa se especializasse no transporte de produtos de siderurgia, como perfis metálicos, chapas e bobinas, entre outros, para garantir a entrega sem avarias e com preços competitivos.
De acordo com Roberto Veiga, diretor Comercial da Costa Brasil, a empresa projetou equipamentos exclusivos, especialmente, para atender a essa linha de produtos, otimizando tempo e reduzindo custos. “Antes, um contêiner com esse tipo de produto demorava de três a quatro horas para ser estufado. Hoje, com os nossos equipamentos, realizamos este processo em 25 minutos, no máximo”, explicou Roberto Veiga.
Os equipamentos foram desenvolvidos para atender um dos seus grandes clientes em Manaus, a Amazon Aço. Dentro da fábrica da Amazon Aço, a Costa Brasil mantém cerca de 10 colaboradores para receber as peças na linha de produção, fazer o transporte para o pátio e estufar os contêineres para embarcá-los em caminhões e, depois, em navios.

Este ano, a Costa Brasil completa 10 anos de OTM (Operador de Transporte Multimodal). A empresa é uma Integradora Multimodal, com operações de Norte a Sul do país, integrando modais pela terra, pela água ou pelo ar.
A Costa Brasil é referência em Transporte Multimodal e a pioneira na Cabotagem Fracionada, mantendo-se líder nessa modalidade logística, que permite a democratização do frete ao possibilitar que o pequeno empreendedor envie seu produto para todo o Brasil, compartilhando o contêiner e o frete.
Como Integradora Multimodal, a Costa Brasil também realiza a cabotagem de carga Compartilhada, Consolidada, Full Contêiner, Distribuição e Logística Reversa, com operações nos portos de Manaus (AM), Pecém (CE), Suape (PE), Salvador (BA), Vitória (ES), Itaguaí (RJ), Santos (SP), Paranaguá (PR), Itajaí (SC) e Rio Grande (RS), e mantendo bases operacionais completas, estrategicamente, localizadas em Santos, Cubatão e Guarulhos (SP), Itajaí (SC) e Manaus (AM).

Fonte: JCAM

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui