A thyssenkrupp recebeu mais um reconhecimento internacional por seu desempenho na área de proteção climática: pela oitava vez consecutiva, a organização ambiental sem fins lucrativos CDP atestou que a companhia é uma das principais empresas do mundo com base nos dados relatados no questionário de Mudança Climática do CDP de 2023.

O CDP reconheceu a transparência da thyssenkrupp e suas medidas eficazes de proteção climática, concedendo à empresa a maior pontuação e novamente incluindo-a na prestigiada “Lista A de Mudança Climática”. A classificação do CDP enfatiza o compromisso da companhia de contribuir significativamente para a descarbonização e promover ativamente a transição para uma economia verde.

“Estamos tornando a thyssenkrupp pioneira na transformação verde e, assim, ajudando a transformar muitas indústrias em todo o mundo. O resultado da classificação do CDP corrobora nossa estratégia e objetivo de reduzir as emissões de forma sustentável e relatar isso com a máxima transparência. Ficamos muito satisfeitos em atingir a maior pontuação pela oitava vez seguida e ter a confirmação de que estamos no caminho certo”, afirma Miguel López, CEO da thyssenkrupp AG.

A thyssenkrupp tem metas globais de, até 2050, tornar-se neutra em carbono. Como um passo importante rumo à neutralidade climática, o grupo também estabeleceu metas para 2030: reduzir em cerca de 30% as emissões diretas de CO2 relacionadas aos processos produtivos e à energia utilizada (escopos 1 e 2), além de diminuir em 16% as emissões indiretas de CO2, ou seja, na cadeia de valor da empresa (escopo 3). Essas metas foram validadas pela Science Based Targets Initiative (SBTi).

A thyssenkrupp está entre as 346 empresas globais presentes na “Lista A de Mudança Climática” do CDP de 2023, que inclui 16 organizações da Alemanha. O CDP realiza sua classificação anual em nome de mais de 740 instituições financeiras com mais de US$136 trilhões em ativos.

Pioneira na transformação verde, a thyssenkrupp assumiu um papel de liderança quando se trata de proteger o clima. A empresa está trabalhando rapidamente para tornar transparentes os processos de produção intensivos em carbono e, acima de tudo, substituí-los por tecnologias amigáveis ao clima. Exemplo disso é a construção da primeira planta de redução direta, capaz de utilizar hidrogênio no local, de Duisburg – trata-se de um dos maiores projetos de descarbonização industrial do mundo – como parte da transformação para produção de aço neutro em carbono.

Além disso, a thyssenkrupp apoia seus clientes a alcançar suas metas climáticas. O segmento Decarbon Technologies, estabelecido recentemente, desempenha um papel fundamental nisso, uma vez que reúne as principais tecnologias para permitir a expansão da energia eólica, do hidrogênio verde e da amônia verde, que pode ser utilizada também para  transporte tanto do hidrogênio verde quanto do cimento verde.

Sobre a thyssenkrupp

A thyssenkrupp é uma empresa internacional industrial e de tecnologia que emprega cerca de 100.000 pessoas em 48 países. No ano fiscal 2022/2023 registrou um faturamento de €38 bilhões. Desde 1º de outubro de 2023, as atividades comerciais foram agrupadas em cinco segmentos: Automotive Technology, Decarbon Technologies, Materials Services, Steel Europe e Marine Systems. Os negócios desenvolvem soluções sustentáveis para os desafios do futuro com base em um amplo know-how tecnológico. Cerca de 4.000 colaboradores trabalham em pesquisa e desenvolvimento em 75 localidades em todo o mundo, principalmente nas áreas de proteção climática, transição energética, transformação digital na indústria e mobilidade do futuro. A thyssenkrupp possui atualmente um portfólio de aproximadamente 14.630 patentes. Sob a marca guarda-chuva thyssenkrupp, a empresa cria valor de longo prazo com produtos, tecnologias e serviços inovadores e contribui para uma vida melhor para as gerações futuras. Para isso, a empresa persegue metas ambiciosas de proteção climática e otimiza a sua própria eficiência energética e climática. Ao mesmo tempo, utiliza as suas diversas capacidades ao longo das cadeias de valor relevantes para desempenhar um papel significativo na promoção da transformação verde dos seus clientes.

Na América do Sul, as atividades da empresa remontam ao ano de 1837, empregando atualmente cerca de 4.000 colaboradores na região nos segmentos automotivo, defesa naval e tecnologias para descarbonização. Na América do Sul, a empresa contabilizou durante o ano fiscal 2022/2023 um faturamento equivalente a R$ 5 bilhões.

Fonte: Divulgação

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui