O governador Wilson Lima visitou, nesta quinta-feira (11), a sede das empresas chinesas BYD e TCL, que operam no PIM (Polo Industrial de Manaus) e geram mais de 1,2 mil empregos diretos dos, aproximadamente, 5,2 mil que nove empresas de origem chinesa ou com investimentos do país asiático, instaladas na Zona Franca de Manaus, geram atualmente.

Na ocasião das visitas, o governador destacou a importância da parceria das empresas estrangeiras de países como a China, que investem na Zona Franca de Manaus e, consequentemente, contribuem para a manutenção de 97% da cobertura natural preservada em território amazonense; e comentou sobre a expectativa de novos investimentos das empresas no Amazonas, nos próximos anos.

“Há possibilidade de a gente ter novos investimentos da BYD nos próximos dois anos, uma vez que ela tem dominado o mercado de carros elétricos. Na TCL também foi uma visita muito importante de entender quais os novos produtos que estarão no mercado e, também, as possibilidades no Estado do Amazonas”, resumiu o governador Wilson Lima.

As visitas foram realizadas a convite das empresas e do LIDE – Grupo de Líderes Empresariais -, que realiza no país asiático o evento “Brazil China Meeting”, em parceria com os jornais Valor Econômico e O Globo, reunindo as principais lideranças e investidores dos dois países, incluindo o governador do Amazonas, que apresentou potencialidades do Estado durante a programação do evento.

“Na reunião que tivemos com investidores brasileiros, chineses e autoridades, nós apresentamos as potencialidades que o Estado do Amazonas oferece, as condições da nossa Zona Franca de Manaus em grandes empresas, só chinesas são nove, nós temos empresas japonesas, coreanas, grandes multinacionais que estão no Amazonas há décadas. E isso transmite confiança para aquelas empresas que têm interesse em se instalar na Zona Franca de Manaus”, destacou Wilson Lima.

BYD e TCL

A empresa de veículos elétricos BYD, fabricante de automóveis, caminhões e ônibus, fundada na China em 2003, possui três fábricas no Brasil, sendo uma na Zona Franca de Manaus, dedicada à produção de baterias de fosfato de ferro-lítio.

E a multinacional chinesa de eletrônicos TCL, no Brasil, juntou-se à empresa brasileira Semp, formando a Semp TCL, para oferecer ao mercado do país produtos como televisores e condicionadores de ar, a partir de sua produção em duas fábricas na Zona Franca, que geram 1,2 mil empregos diretos, aproximadamente.

Durante a visita à fábrica da TCL na China, o governador do Amazonas assinou com a empresa um protocolo de intenção de parceria com o Governo do Amazonas, por meio do Cetam (Centro de Educação Tecnológica do Amazonas), para otimizar o desenvolvimento da tecnologia educacional e reforçar a capacitação de alunos.

Empresas chinesas no PIM

A presença de empresas chinesas no Polo Industrial de Manaus vem desde a década de 1970 e cresce a cada década. Estão ainda no PIM a Gree, TPV, Wasion, Todaytec, Nansen, I-Sheng, Hikvision e Futura, voltadas para a produção em segmento como eletroeletrônicos (ar-condicionado, televisores, câmeras de circuito de segurança, placas, fios e cabos e outros).

Segundo a Sedecti (Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação), que monitora a movimentação na Zona Franca, uma empresa chinesa do setor fotovoltaico está em processo de implantação após ter o projeto aprovado na Suframa (Superintendência da Zona Franca de Manaus). Trata-se da Livoltek, que produz itens do segmento de energia solar. A previsão é gerar mais de 400 novos empregos.

Fonte: JCAM

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui